Ações da SMS estimulam inserção social de pessoas com deficiências

Ferramentas de inclusão e reabilitação para pessoas com diversos tipos de deficiência são disponibilizados nos equipamentos de saúde.

No Dia Nacional de Luta da Pessoa com Deficiência, comemorado em 21 de setembro, a Secretaria Municipal de Saúde (SMS) chama atenção para os serviços oferecidos pela rede municipal com objetivo de auxiliar na inclusão social deste público. De acordo com dados do Censo 2010, mais de 2,7 mil moradores da capital são portadores de algum tipo de deficiência.

Uma das ações mais recentes da pasta foi a criação do Jardim Sensorial no Centro Especializado em Reabilitação (CER) IV Flávio Giannotti, que funciona no complexo Hospital Dia Rede Hora Certa Ipiranga. Criado no primeiro semestre de 2017 como parte da Virada da Saúde da CRS Sudeste, o espaço é um convite à percepção sensorial, com o cultivo de plantas de diferentes aromas, formatos e texturas, como o alecrim, citronela e orégano.

O espaço de estímulo aos sentidos foi bem recebido pela comunidade local e passou a ser utilizado em diversas atividades terapêuticas. A ação foi tão bem sucedida que há expectativa de levar o projeto para outras unidades da rede.

Outro serviço com foco na qualidade de vida acontece no CER II Guaianases, referência em reabilitação de pessoas com deficiência visual e/ou auditiva residentes na região. São realizados treinos de orientação e mobilidade externa em espaços que proporcionem aos pacientes a vivência das habilidades necessárias para se deslocarem de forma segura e ágil em diferentes espaços públicos, como parques, shoppings e Metrô. A primeira turma de usuários se formou em junho de 2017, após um ano de treinamento.

A culinária é outra ferramenta terapêutica utilizada por espaços como NISA Milton Aldred/Supervisão Técnica de Capela do Socorro e CER M’Boi Mirim para a inserção de pessoas com deficiência, assim como o projeto Tear, que usa oficinas de tecelagem para fortalecimento dos vínculos, e o projeto Dança Sênior, que estimula usuários com dificuldades motoras e intelectuais por meio da música. Ambas as ações acontecem no CER II Santo Amaro.

A rede municipal de saúde disponibiliza ainda outros serviços de reabilitação:

CER II Butantã

· Trabalho de Intervenção Oportuna – Integrado com o Hospital e Maternidade Mario Degni, a ação encaminha os recém-nascidos de alto risco no momento da alta para avaliação de equipe de reabilitação, que inicia a intervenção quando necessário, fazendo um trabalho de identificação precoce das deficiências, estimulação global e apoio familiar.

Para os casos com deficiência já instalada, para RNs e crianças, a equipe já inicia o trabalho de reabilitação por meio de avaliações e intervenções multiprofissionais, individuais e em grupo, sempre com apoio às famílias. O CER II Lapa também realiza o mesmo trabalho, recebendo recém-nascidos e bebês de várias maternidades de São Paulo.

· Prescrição de órteses para bebês, crianças, jovens, adultos e pessoas idosas – As equipes de OPM (Órteses, próteses e Meios Auxiliares de Locomoção) realizam avaliação, prescrição e fornecimento das seguintes órteses: bengalas, muletas, andadores, órteses suropodálicas, calçados e palmilhas, cadeiras de rodas padrão e cadeiras de rodas adaptadas, entre outras órteses, auxiliando o processo de reabilitação.

O CER II Lapa é um dos polos para os mutirões de órteses que estão acontecendo na cidade. Uma vez por mês realiza reavaliações, prescrições junto à empresa conveniada por SMS, provas e entregas das órteses, de forma ágil e resolutiva.

· Avaliação Auditiva – A partir da suspeita de perda auditiva, o CER II Butantã e o CER II Lapa, em parceria com o Hora Certa Lapa, realizam exames diagnósticos, encaminham para o fluxo de aquisição de Aparelhos Auditivos ou Implante Coclear se necessário e realizam a reabilitação auditiva para todas as faixas etárias.

· Ações para terceira idade – CER II Lapa e CER II Butantã têm trabalhos junto à Rede da Pessoa Idosa nos territórios, tanto para prevenção de quedas e de outros riscos e agravos à saúde, quanto para reabilitação de casos que apresentem sequelas físicas, sensoriais ou intelectuais. Há várias abordagens e ações (grupos de orientação, oficinas, abordagens corporais, grupos terapêuticos, atividades externas, exercícios, entre outras).

Projetos de Reabilitação – CER III SANTO AMARO

· Festas Junina e de Natal – Usuários com qualquer tipo de deficiência participam de rodas de conversa e oficinas de confecção de enfeites para as festas.

· Oficina Adulto e Infantil – Com o apoio de filmes, dinâmicas e demais materiais pedagógicos, usuários e seus familiares têm a oportunidade de ampliar o conhecimento sobre as deficiências, tratamentos e cuidados com o paciente.

· Projeto Visita à Reatech – Os usuários do serviço são levados à Feira Internacional de Tecnologias em Reabilitação, Inclusão eAcessibilidade. No evento anual, os visitantes têm a chance de conhecer as novidades da tecnologia assistiva.

Ações do NISA Milton Aldred / Supervisão Técnica de Capela do Socorro

· Estimulação precoce infantil – Direcionado para crianças acompanhadas de seus pais ou cuidadores visando à integração do cuidado, estimulação da visão residual, além do estímulo dos outros sentidos, incorporando a socialização e o lúdico dessas crianças.

· Práticas corporais e cognitivas – Voltado para idosos que apresentam deficiência visual, auditiva, dificuldades cognitivas e diminuição dos movimentos corporais.

CER M’Boi Mirim

· Caminhando novamente – Intervenção multiprofissional no processo de reabilitação de pacientes com diferentes níveis de amputação dos membros inferiores. Para estimular o regresso às atividades habituais, os pacientes que integram o programa participam de simulação de atividades de vida diária para avaliar pontos como força muscular, dificuldades, medos e inseguranças.

Fonte: Comunicação & Cia
Data: 21/09/2017